Blog do Thales Castro - Thales Castro

Vargem Grande: Carlinhos Barros, tirania, opressão e o tapete vermelho da vaidade

Dr. Castro Junior recebendo o Prêmio Nobre

Por Castro Júnior* 

Que o prefeito da nossa querida e amada Vargem Grande é um homem muito vaidoso, isso ninguém mais tem dúvida, e inúmeras foram as vezes que isso restou evidenciada em sua administração, é o caso da segunda inauguração da avenida nossa senhora de Lourdes, mais conhecida como a Baixa grande, que antes de receber o gestor, teve seu famoso asfalto lavado de ponta a ponta em plena maior crise de abastecimento de água da história de nossa cidade. 

 

Outra fato relevante mas não menos importante, trata da tirania e opressões vividas nesse governo, coisa que quem só viveu na pele saberia explicar, o quão perseguidor o homem do chapéu é com aqueles que não estão dispostos a se ajoelhar e rezar sua cartilha de A a Z. 

 

Com uma lista corrida, tentarei trazer as que mais chamam atenção. 

 

É o caso da intervenção criminosa na livre atuação da câmara de vereadores, isso ocorreu quando seu irmão e fantoche na câmara perdeu a reeleição para presidência do poder legislativo, revoltado e inconformado com o processo democrático o prefeito se deu o poder de asfixiar o orçamento dos representantes do povo, tudo isso com direito a falsificação de documento público, é o que consta em uma decisão judicial que analisou o caso. 

 

Outro fato recente, implica na falta de transparência do dinheiro público destinado ao combate da pandemia do COVID-19, foi repassado cerca R$ 9.930.752,39 ao cofre do município para o tratamento dos doentes, porém até hoje não foi explicado por qual valor, qual produtos ou serviços e empresas foram contratados com esse recurso, que inclusive o prefeito e o secretário de saúde é processado duas vezes por não explicar tal desfecho. 

 

Não podemos esquecer dos que foram perseguidos pelos anônimos da internet, por ousar discordar ou criticar nas redes sociais desse método nada republicano adotado pelo gestor, vale lembrar, que há dois registros de ocorrência na delegacia de combate a crimes virtuais contra um secretário que compõe o governo. Por fim, a fraude que envolve as matriculas do censo escolar, que além de morto matriculado, isso também ocasiona um rombo milionário à união. 

 

Já do ponto de vista eleitoral, essa opressão se agrava ainda mais, o tirano acha que vai ganhar as eleições no grito, intimidando aqueles que pensam diferente de diversas as formas, como exemplo, podemos lembrar da chuva de pedras ocorrida no bairro de Fátima, as ofensas nas redes sociais por meio dos perfis fake, e o uso indiscriminado de foguetes a ponto de causar dois incêndios na mesma campanha, o primeiro na saudosa escola Azizi Trabulsi, e o segundo, curiosamente causado na casa de um dos candidatos que disputam contra ele a eleição, algo que mesmo involuntário causa um ar de intimidação devido ao histórico. 

 

Mas o mais engaçado e curioso de tudo, além do forasteiro e ex procurador geral do município está a ponto de perder os cabelos com medo de perder a mamatinha, é o fato do término da convenção do prefeito, onde este vaidoso como sempre desfila em um belíssimo tapete vermelho se ajoelhando como o sinal de cordialidade. Falso e prepotente, pois isso tudo não passa de uma grande mentira, haja vista que é a Vargem Grande que está de joelhos aos mandos e desmandos dessa tirania maquiada em forma de governo, e que toda essa engrenagem administrativa em sua gestão atua em um único sentido, centralizar poder e recurso fazendo de Carlinhos Barros um homem cada vez mais rico. 

 

**Advogado OAB/MA 21.814

Categoria: Notícias