Blog do Thales Castro - Thales Castro

Em parceria com Josimar e Detinha, Diegão da Madeireira entrega 3 toneladas de peixes em Vargem Grande

Mantendo o que já virou tradição em Vargem Grande, durante o período da Semana Santa, o ex-vereador e presidente municipal do PL, Diegão da Madeireira, começou na tarde desta terça-feira (30) a distribuição de peixes aos vargengrandenses.

 

 

Diegão que durante os 4 anos (2017-2020) de mandato de vereador realizou no mesmo período esta nobre ação social em favor da população, neste ano mantém a tradição e a parceria com os deputados Josimar de Maranhãozinho (PL) e Detinha (PL) e distribuem 3 toneladas de pescados aos vargengrandenses.

 

Sem dúvida, a ação liderada por Diegão se torna ainda mais valorosa, por permitir, principalmente às famílias carentes, alimentos em suas mesas durante a páscoa, que lamentavelmente, mais uma vez, é celebrada em meio à crise sanitária do novo coronavírus.

 

Vereador Batista Matos morre, vítima da Covid-19

O vereador João Batista Matos,  faleceu, na manhã desta quarta-feira (31), vítima da Covid-19. Batista estava internado no hospital São Domingos há praticamente um mês e há uma semana estava na UTI.

 

NOTA DE FALECIMENTO E PESAR

 

“Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. 8 Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.”

2 Timóteo 4:7-8

 

É com imensa tristeza e consternação que a assessoria e a família comunicam o falecimento do nosso irmão em Cristo e eterno Vereador João Batista Matos Viana Pereira, ocorrido no início da manhã desta quarta-feira, 31 de março de 2021, em decorrência de complicações pela Covid-19.

 

Nesse momento de extrema dor, pedimos as orações e a consolação do ESPÍRITO SANTO de DEUS sobre sua amada esposa Liana Ramalho, filhos Samuel e Daniel Matos, sua mãe D. Clenir, parentes, irmãos em Cristo e amigos.

 

“Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos”.

Salmos 116:15

 

Trajetória

 

João Batista Matos é casado com a arquiteta Liana Ramalho com quem tem dois filhos, Samuel e Daniel. Uma das primeiras batalhas vencidas foi a dificuldade na infância. Filho de uma mãe que lavou roupa e também cuidou da casa dos outros, aos 40 dias de seu nascimento foi morar com outros familiares em Bacabal. Retornou sete anos mais tarde, quando a mãe, Dona Clenir, que é exemplo de conquista para o filho, já era auxiliar de enfermagem concursada do hospital Dutra e do Hospital Infantil.

 

João Batista frequentou as escolas públicas (Luís Viana, Sesi e Liceu) e com muita determinação superou cada obstáculos impostos pela vida. Obstáculos que, como diz, serviram como provas para capacitá-lo a enfrentar grandes desafios. Com isso, o sonho de se tornar um grande comunicador virou uma realidade, sendo aprovado anos mais tarde para o curso de Comunicação Social na UFMA (Radialismo). Também foi professor de inglês e membro de uma Ong francesa.

 

Após anos de vivência com entidades comunitárias e o dia-a-dia nas redações do O Estado do Maranhão, O Imparcial e nas rádios Mirante e FM Esperança, permitiram que João Batista entendesse sua vocação para a política. Muito mais que isso, entendesse a vocação para atender as necessidades do seu povo, da sua gente.

 

LUTAS SOCIAIS

 

Daí pra frente, Batista engajou-se nas lutas e tornou-se um grande guerreiro das causas sociais. O pontapé inicial foi com a criação de bibliotecas comunitárias, reestruturação de escolas e o esforço para que a água chegasse às casas de centenas de moradores da Alemanha.

 

Incomodado por sempre ouvir que sua região era muito violenta, Batista foi à luta e conseguiu a reforma da praça da Alemanha. Um grande feito, com um valor incalculável. Pois, não foi construído apenas um local de bate-bola, foi estabelecido um espaço onde crianças, jovens e adultos interagem opor meio do esporte da cultura e do estudo.

 

Batista conquistou novos benefícios para a região, como a chegada da 2° Companhia da Polícia Militar e a implantação de um Telecentro de informática em parceria com o Conselho Cultural que ele preside, Ministério da Justiça, Secretaria de Segurança, Polícia Militar e Senac/Sesi. Com esta vitória, Batista possibilitou a muitos jovens e adolescentes um futuro com melhores possibilidades. Muitos já se formaram nos cursos de capacitação, como informática e auxiliar administrativo.

 

Pra se ter uma ideia do ganho da comunidade, a rua mais famosa da Alemanha, a Rua 4, antes era conhecida como a rua dos integrantes de membros das gangs Bota Preta e da GA (Garotos da Alemanha). Hoje esta rua é conhecida como a que tem dois grandes times de futsal, o Juventude e o Pé na Jaca.

 

Na Câmara de Vereadores, João Batista se destacou com discursos enfáticos em defesa dos direitos da população. Uma das batalhas encaradas pelo vereador foi a luta contra o aumento abusivo da Caema. Batista, juntamente com a promotora Lítia Cavalcante, impediu o aumento de quase 90% em 2011.

Othelino destaca aprovação do auxílio emergencial a restaurantes, bares e ao setor cultural

Após a sessão desta terça-feira (30), o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), concedeu entrevista e destacou os projetos aprovados, entre eles a Medida Provisória 341/2021, de autoria do Poder Executivo, que autoriza a concessão de auxílio emergencial aos estabelecimentos comerciais do setor de bares, restaurantes, lanchonetes e à área cultural. A matéria foi aprovada pelo Plenário da Casa, em sessão remota realizada nesta terça-feira (30). A MP segue agora para promulgação.

 

Othelino pontuou que o setor de bares e restaurantes foi um dos mais atingidos pelas restrições necessárias ao enfrentamento da pandemia do coronavírus. Por isso, segundo o parlamentar, a concessão do auxílio no valor de R$ 1.000,00, pago em cota única, dará um fôlego aos proprietários desses estabelecimentos comerciais, com a finalidade de contribuir para a manutenção dos postos de trabalho durante o período de suspensão do funcionamento, em virtude das normas sanitárias.

 

“Sendo assim, o Governo do Estado baixou uma Medida Provisória estabelecendo o auxílio emergencial para esses setores e a Assembleia, hoje, converteu essa MP em lei, dando a garantia de que aqueles que se habilitaram poderão receber o benefício”, afirmou Othelino.

 

Já os trabalhadores da cultura, anteriormente selecionados por meio das ações emergenciais (auxílio emergencial e editais da Secretaria de Estado da Cultura – SECMA) previstas na Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020 (Lei Aldir Blanc), terão direito a auxílio no valor de R$ 600,00, também pago em cota única.

 

Na Mensagem encaminhada à Assembleia Legislativa, o governador Flávio Dino justifica a urgência da matéria frente à necessidade de se adotar, com a maior brevidade possível, mais uma medida capaz de contribuir para o enfrentamento dos reflexos da pandemia da Covid-19 nos setores econômico e social do Estado.

São José de Ribamar já aplicou 73,8% das doses recebidas da vacina contra a Covid-19


A prefeitura de São José de Ribamar segue acima da meta na campanha de vacinação contra a Covid-19. Profissionais de saúde e idosos a partir de 70 anos recebem a vacina em pontos estratégicos, como as unidades básicas de saúde, Liceu Ribamarense e nas residências para idosos acamados ou com dificuldade de locomoção.

 

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde, 10.953 doses foram recebidas e 7.833 doses foram aplicadas, o equivalente a 73,8% do total. No entanto, a lentidão na incorporação dos dados nos sistemas nacional e estadual, provoca redução do percentual nas plataformas digitais.

O município já vacinou até agora os grupos prioritários: trabalhadores da saúde e idosos a partir de 75 anos. Terça (30) e quarta-feira (31), a imunização ocorre no Liceu Ribamarense para profissionais de saúde, idosos a partir de 75 anos e idosos de 70 a 74 anos nascidos entre janeiro e outubro. Nesta quarta-feira (31), todas as unidades básicas estão funcionando para vacinar este público, com exceção dos profissionais de saúde.

As doses já foram aplicadas nos hospitais e unidades de saúde para vacinação de profissionais de saúde, drive thru para idosos a partir de 90 anos e comunidade Indígena Tremembé. Nas unidades básicas de saúde, idosos a partir de 70 anos também já estão sendo imunizados. A Secretaria Municipal de Saúde também vacina em casa idosos com dificuldade de locomoção ou acamados.

Cabe ressaltar, que a prefeitura de São José de Ribamar formalizou uma parceria com o Governo do Estado e prefeitura de Paço do Lumiar para implantação de drive thru de vacinação no Pátio Norte Shopping.

Associação de Pais e Alunos sugere ao Governo antecipação das férias escolares no Maranhão

Blog do Glaucio Ericeira – A Associação de Pais e Alunos de Instituições de Ensino do Estado do Maranhão (ASPA-MA) protocolou na Secretaria de Estado da Saúde documento (veja Aqui) sugerindo ao Governo que determine a antecipação das férias escolares – nas redes pública e privada de ensino – do mês de julho para o próximo mês de abril.

 

A medida, na avaliação da entidade, contribuirá para conter a disseminação do novo coronavírus, zelando pela saúde dos professores, estudantes e suas famílias.

 

O documento foi protocolado na manhã de ontem. No período da tarde, o presidente da Associação, Marcello de Freitas Costa Rodrigues, juntamente com representantes do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino (SINEPE), Associação Maranhense de Escolas Particulares do Estado do Maranhão (AMEP) e Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino da Rede Particular do Maranhão (SINTERP), estiveram reunidos com o secretário estadual de Saúde, Carlos Lula.

 

Atualmente, as aulas na rede privada estão sendo realizadas de maneira híbrida. Na rede estadual permanecem remotas.

 

“Nos últimos 03 (três) dias o Brasil atingiu a triste marca de mais de 3.000 mortes diárias e chegou a mais de 100.000 contaminados em apenas 24 horas, o que comprova o descontrole da doença em todo o Brasil. No Maranhão os números apresentados em boletins diários pela Secretaria de Saúde não demonstram uma melhora da conjuntura desta doença tão grave. A verdade é diametralmente oposta, o sistema de saúde público e privado do Estado encontra-se com quase 100% das UTI’s ocupadas e com risco de desabastecimento de insumos e medicamentos em curto prazo. O Grupo de Trabalho Retorno às Atividades Escolares Presenciais, da Vice-Presidência de Ambiente Atenção e Promoção da Saúde (VPAAPS/Fiocruz), divulgou Nota Técnica na sexta-feira (26/3) em que reforça, no atual momento de agravamento da pandemia, a recomendação de fechamento das escolas”, afirmou Freitas.

 

“Diante de tudo que foi apresentado a autorização dada para o retorno das aulas presenciais das escolas particulares, ainda que de forma híbrida, a todos os níveis de ensino para o dia 29/03, fará com que as mesmas ocorram sem o devido planejamento pedagógico e sem o devido zelo aos protocolos sanitários, já que a decisão pegou a todos de surpresa, uma vez que nem estabelecimentos de ensino e nem pais de alunos aguardavam esta liberação no atual cenário epidemiológico que nos encontramos. Sabemos que muitos dos estabelecimentos de ensino vêm buscando manter um protocolo sanitário eficiente e que garanta a saúde de todos, mas o momento crítico da pandemia da Covid-19 impossibilita qualquer tipo de aula presencial. Destarte, para um controle mais efetivo da Covid-19 em nosso Estado, e de forma a preservar a comunidade escolar (pais, alunos e professores) sugerimos, na atual conjuntura, a antecipação das férias escolares de julho para o mês de abril, pois além de colaborar com a diminuição da circulação de pessoas pela cidade, principalmente nos transportes públicos, será o mês em que o Ministério da Saúde estará realizando a vacinação dos profissionais da educação, assim como de toda a população acima dos 60 anos”, completou.

Em Tuntum, Fernando Pessoa entrega mais duas UBS recuperadas

As comunidades dos povoados Arroz e Serra Grande, passam a contar com suas Unidades Básicas de Saúde mais adequada para atender a população com mais qualidade.

 

O prefeito de Tuntum, Fernando Pessoa entregou oficialmente, na manhã desta segunda-feira (29), as UBS (Unidade Básica de Saúde) Alexandrina Maria da Conceição no povoado Arroz e Abílio Alves Silva no povoado Serra Grande.

 

A secretária Municipal de Saúde, Ana Izabel falou da importância do atendimento saúde com humanização, e ressaltou a importância das UBS melhor equipada para um atendimento de qualidade.

 

As novas UBS são equipadas com consultório medico, odontológico, farmácia, sala de vicias e recepção.

“O objetivo do prefeito Fernando Pessoa é a humanização da saúde no município, dando qualidade de vida a população, tratando todos com respeito e dignidade”, disse a secretária de Saúde Ana Izabel.

 

“Você veio para mudar Tuntum, está olhando o município com outros olhos e tratando o povo com respeito”, disse o ex-prefeito e atual secretário de Agricultura, Chico Cunha.

 

O prefeito Fernando Pessoa cobrou dos servidores um atendimento com humanização e disse que todos tem que ter o mesmo tratamento de qualidade e que todos estão ali para servir ao povo com atenção e respeito.

 

Fernando disse ainda que irá levar o asfalto do bairro Mil Reis até o povoado Arroz, uma distancia de 5 km.

 

Acompanharam o prefeito Fernando Pessoa o vice-prefeito Nelson, o presidente da Câmara Ivalto, os vereadores Sergio e Renan, a secretária de Saúde Ana Izabel, os secretários Chico Cunha (agricultura), Fabio Pessoa (fazenda), Pastor Werbeth (cultura), Pedro Jorge (comunicação, os adjuntos Amilson Dilacerda (comunicação e Deuzim (agricultura), as lideranças Sr. João Lesbão da Serra Grande, Sr. Manoel do Arroz e Carlinhos Tibucio.

 

As UBS do Arroz e a da Serra Grande são as 13ª e 14ª recuperadas e já entregue pelo Fernando Pessoa nestes quase três meses de gestão. A entrega da UBS do Creoli do Bina que estava marcada para as 16 horas de hoje (29), foi adiada pelo falecimento de um morador da comunidade.

Páblo Lima assume mandato de vereador em Coroatá pregando união para vencer o coronavírus e a fome

Coroatá de Verdade – Assumiu o cargo de vereador hoje (29), na cidade de Coroatá, o blogueiro Páblo Lima (PCdoB), que obteve 511 votos nas eleições de 2020, ficando primeiro suplente do seu partido. O vereador Macilio Gonçalves que obteve 522 votos assumiu a Secretaria Municipal de Comunicação da cidade.

 

Em seu discurso, Páblo Lima se solidarizou com a família das vítimas acometidas pela COVID-19 e pregou a união de todos contra o vírus e a fome que vem assolando os coroataenses. “Precisamos nos unir, tanto contra o coronavírus quanto a fome que vem assolando nossa gente, o momento é de trabalhar em prol dos que mais precisam, me solidarizo com todas as famílias das vítimas da COVID-19, agradeço a Deus e ao povo por poder estar assumindo este mandato e tenham certeza que faremos um trabalho louvável para a população”, Destacou.

 

Páblo Lima tem 29 anos, é blogueiro, estudante de Direiro e Markenting, foi assessor de comunicação da Prefeitura de Coroatá e atualmente trabalha na assessoria do Deputado Estadual Fabio Braga.

Famem organiza Consórcio Público dos municípios do Maranhão

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) lidera a instituição consórcio público para dar suporte aos municípios e a reunir esforços para a elaboração de políticas econômicas e sociais, visando o desenvolvimento local e regional. Neste momento de pandemia, o Consórcio pode ser a solução para que os municípios adquiram vacinas contra COVID-19 caso o Plano Nacional de Imunização do governo federal não consiga atender a demanda.

 

O consórcio é um importante meio de concretização do federalismo cooperativo e instrumento de implementação de políticas públicas mais eficientes, trazendo para o âmago municipal e regional as discussões de temas inerentes aos interesses intermunicipais.

 

O Consórcio da Famem já conta com 11 filiados. A entidade tem convidado os municípios a se consorciarem com base na Lei nº. 11.107/2005. Quanto mais consorciados, maior a efetividade pode negociar em melhores condições a aquisição de produtos e serviços, ganhando agilidade no atendimento das demandas públicas. Para participar, o município deve aderir à iniciativa, sem custo nenhum, em formulário específico no site da Famem. A documentação também está disponível no site da Federação.

 

A adesão garante diversos benefícios. O município pode conseguir repasse de recursos federais e estaduais via Consórcio. O município pode viabilizar asfaltamento com a ata de adesão, sem ter que fazer licitação própria, agilizando o processo.

 

Com relação às vacinas contra COVID-19, os recursos para compra poderão ser disponibilizados de três formas: por meio dos municípios consorciados, de aporte de recursos federais e estaduais e de eventuais doações nacionais e internacionais.

Márcio Jerry: Fé! Uma Frente da Esperança para resgatar o Brasil

“Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar! Fé na vida, fé no homem, fé no que virá Nós podemos tudo, nós podemos mais Vamos lá fazer o que será”

‘Sementes do Amanhã’, Gonzaguinha, 1984

– Deputado Federal e Presidente Estadual do PCdoB

Nas batalhas que travamos dia a dia, por vezes somos tomados pelo desânimo. É a sobrecarga cotidiana que junta os afazeres domésticos redobrados, a solidão do isolamento social com home office ou da ida diária ao trabalho em condições nem sempre seguras, voltando todo dia com a dúvida de ter sido contaminado na busca pela sobrevivência. Enquanto isso, nossos filhos privados da possibilidade plena do ensino que deveriam ter.

 

Essa rotina acumulada há 12 meses, sem a perspectiva de melhora sensível no horizonte, gera o desalento que vem tomando corações e mentes. É o que a Organização Mundial da Saúde (OMS) já batizou de “fadiga pandêmica”. Associado a esse cansaço, temos a insegurança em relação à possibilidade de recuperação da economia, abalroada pelas restrições necessárias para enfrentar a pandemia.

 

O desânimo e a insegurança viram raiva cívica, indignação, quando olhamos para a autoridade máxima do país. É quem deveria trabalhar diariamente para buscar soluções que atendam as necessidades ambulatoriais e vacinais para que saiamos do caos sanitário. E oferecer políticas que minorem o impacto pandêmico na economia e apontem saídas para uma recuperação a médio prazo, com auxílio emergencial a trabalhadores e financiamento a empresários, especialmente os micro, pequenos e médios.

 

Essa mesma autoridade, que deveria ser nosso líder neste momento, atua como anti-líder. Zomba e ri do sofrimento de quase 300 mil famílias brasileiras que perderam seus entes. Lava a mão diante da responsabilidade de apoiar milhões de brasileiros na busca por emprego e renda. Atua criminosamente para adiar a vacinação da população para que possamos superar a pandemia.

 

As justas raiva e indignação diante do descaso do presidente genocida precisam converter-se agora em FÉ. É essa convicção de que temos todas as condições para ter um país melhor diante da pandemia que converte esses sentimentos numa energia mobilizadora para a mudança.

 

Já há um sopro de esperança no ar. Ele está na articulação de artistas e jogadores para enviar oxigênio a Manaus, superando a logística ilógica do desgoverno Bolsonaro. Está na mobilização que tomou as redes em defesa do youtuber Felipe Neto contra uma ação com aspirações ditatoriais de seu filho. Está na voz límpida e poderosa de Teresa Cristina que cantou ao final de sua entrevista ao Roda Viva a canção De volta ao começo, de Gonzaguinha, conclamando as principais lideranças nacionais políticas de esquerda à unidade.

 

É um sopro de esperança que percorre a sociedade que, se organizado politicamente, pode virar vendaval de esperança. Para isso, precisam se unir todos os que acreditam que o Brasil é maior que esse monstro genocida. Que o Brasil pode se erguer e voltar a ser o país admirado pelo mundo por tentar superar suas próprias mazelas incluindo a todos.

 

Para isso, é preciso deixar de lado diferenças mesquinhas pensando no futuro do Brasil. É preciso pensar com grandeza. Com a grandeza que levou o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia, do DEM arqui-inimigo do PT, a saudar a recuperação dos direitos políticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. É preciso ter esperança. Não uma esperança etérea e ingênua. Mas uma esperança metódica na construção do caminho para sairmos do atual caos. E uma esperança generosa com os diferentes que se somam a nós nessa caminhada. Com generosidade e método, a esperança vencerá os tempos sombrios de agora!

Na pandemia, 1ª cozinha quilombola do Brasil serve refeições gratuitas e estimula a agricultura familiar

– Restaurante Popular de Marudá (Foto: Nael Reis)

Entre as sete comunidades quilombolas remanejadas em 1988 para a construção do Centro de Lançamento de Alcântara, um restaurante popular serve 200 refeições gratuitas todos os dias. A Cozinha Comunitária Quilombola de Marudá, inaugurada em 2017 e mantida pelo Governo do Maranhão, não parou mesmo com a pandemia e, para evitar aglomerações, encontrou uma solução: entregar quentinhas.

 

“Algum membro da família vem buscar a comida e leva pra casa. Nós orientamos que eles utilizem máscaras, evitem aglomerações e mantenham o distanciamento caso houver fila”, explica Deborah Helena, nutricionista do primeiro restaurante popular do Brasil voltado para quilombolas. Ela conta que o local, além de servir refeições gratuitas, desenvolve diversas atividades e cumpre um papel social nas comunidades.

 

“Essa cozinha é estrategicamente localizada em Marudá. Agora são 200 pessoas com ao menos uma refeição por dia garantida. E não é só isso, nós oferecemos capacitações que estimulam geração de renda, fazemos avaliação nutricional, reeducação alimentar”, diz.

 

Deborah cita como exemplo a oficina de panificação. Antigamente os moradores das agrovilas de Marudá, Cajueiro, Espera, Pepital, Peru, Ponta Seca e Só Assim precisavam se deslocar até a sede de Alcântara para comprar pães. Agora, como resultado das oficinas, eles produzem e comercializam o produto entre si.

 

Agricultura familiar

 

Nascido e criado em Marudá, Sidinaldo Bob Azevedo tem 37 anos e trabalha na Cozinha como fiscal administrativo. Ele explica que o local possui uma regra justamente para movimentar a economia local: a de que 30% do que é gasto para preparar as refeições deve ser comprado exclusivamente da agricultura familiar.

 

“A Cozinha chegou em Marudá para abranger as sete comunidades e foi uma benção, uma dádiva de Deus. Nós vivemos em quilombos, somos quilombolas, e aqui não temos nenhuma oportunidade de emprego. Então, a Cozinha veio com um ponto chave pra mudar tudo isso”, conta.

 

Bob Azevedo explica ainda que as comunidades viviam da pesca e, com o remanejamento, ficaram distantes dos rios e do mar, levando mais de 5 horas para chegar caminhando em algum desses locais.

 

“33 anos atrás nós fomos realocados, o processo de adaptação foi muito difícil, e a Cozinha nos ajudou com isso. A pesca, que era nossa segurança alimentar, se tornou muito distante. Agora, quase 30 anos depois, o Governo do Maranhão colocou essa benção aqui em Marudá, que é a Cozinha Quilombola, abrangendo as sete comunidades remanejadas pelo Centro”, diz.

– Restaurante Popular de Marudá (Foto: Nael Reis)

 

Reeducação alimentar

 

Segundo Elma Alves Lemos, 42 anos, liderança da comunidade Pepital, muitos quilombolas não sabiam o que era educação alimentar, e agora, o significado está na ponta da língua de todos.

 

“Antes a gente sentava-se à mesa, achava que era só comer e pronto. E não é isso, é saber o que você está comendo, o que é proteína, carboidrato, vitamina, pro nosso bem-estar, pra nossa saúde, e a cozinha trouxe tudo isso. Os nutricionistas chegaram a visitar pessoas em suas casas, conversaram com diabéticos, mediram glicemia, fizeram um acompanhamento individual, e pra gente isso é de extrema importância”, diz.

 

Mãe solo de três crianças, a quilombola destaca ainda o papel social da Cozinha. “O espaço se transformou num lugar onde você conhece amigos, revê pessoas que você só encontraria em alguma ocasião especial. Antes da pandemia, quando a gente se reunia lá na Cozinha, a gente podia estar sentado frente a frente, rever amigos, o que é muito legal. Então, isso é uma conjunção familiar entre toda nossa comunidade”, afirma.